Ouça o que você escuta

Ok, você provavelmente sabe que American Pie foi composta por Don McLean e não pela Madonna. Alguém até pode ter te contado que a música fala, através de paródias, sobre a morte de Buddy Holly e das mudanças que ocorreram nos costumes – e principalmente na música – na década de 60. Agora, você sabia que “Killing me softly with his song”, música da Roberta Flack (e não dos Fugees), de 1973, foi concebida por sua autora com base na experiência de ter visto Don McLean cantando American Pie ao vivo?

Pois é. Eu, pelo menos, não sabia.

Acabei descobrindo essa – e várias outras – sem querer, ao procurar o porque do Bono cantar, no início de Vertigo: “Unos, dos, tres, catorce!”. Caramba, será que ninguém do U2 (ou próximo deles) sabe contar em espanhol? Realmente não fazia o menor sentido. Devia ser alguma mandinga ou mensagem secreta, mas nunca tive o saco de procurar até hoje. Foi aí que encontrei o Song Facts, que me deu três diferentes opções:

1) É uma referência ao 1º. Testamento, 2º. Livro, 3º. Capítulo, 14º. Versículo: “E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.” [Cortesia Biblia On-line]. Hummm. Taí a mensagem secreta, mas é completamente obscura para uma banda de pop passar para os seus fãs. Se ainda fosse uma mensagem ecológica…

2) Quatorze se refere ao fato de “How to dismantle an atomic bomb” ser o décimo-quarto álbum do U2. Bem mais plausível.

3) Segundo entrevista do Bono (para Rolling Stone, descobri mais tarde), foi um erro causado pelo álcool. Ou, conforme comentários dos usuários, simplesmente porque ele quis e ponto final. Acho que temos um ganhador.

De uma maneira ou de outra, explorei o site e encontrei várias outras pequenas pérolas. Exemplos:

  • Push, do Matchbox 20, foi considerada por grupos feministas como uma música que incentivava a violência contra mulheres.
  • “Bismillah!”, cantado em Bohemian Rhapsody, quer dizer “Em nome de Deus” em árabe (e eu achava que era uma intejeição de desprezo apenas…).
  • Blowin’ in the wind foi escrita em apenas 10 minutos e, na sua primeira apresentação, Bob Dylan, não entendendo a própria letra, acabou inventando versos na hora.

Para quem se interessar por esse tipo de coisa, há uma programa legal da VH-1 chamada “Storytellers”, onde as bandas se apresentam e contam um pouco de como e quando compuseram seus maiores sucessos. Passa de vez em quando na Net, mas nunca me lembro de gravar qual o canal e o horário…

Anúncios
Publicado em Música. 2 Comments »

2 Respostas to “Ouça o que você escuta”

  1. tma Says:

    muito bom!
    a história do matchbox 20, push, que conheço, vem da época que a mtv tinha umas caixinhas de diálogos (estilo quadrinhos) para explicar o clip enquanto este tocava ou passava (lembra?)
    O vocalista Rob Thomas teve um relacionamento digamos, “conturbado”, com uma senhorita que o fazia de gato e sapato pegando pesado no sado-maso.
    Após o fim do “romance” (e várias sessões de terapia para ex-masoquistas) ele começou a escrever push como forma de “elevar sua auto-estima” ao contrário do que o grupo feminino alega… rs
    bj
    t.

  2. tma Says:

    sem falar no storyteller hilariante do d. matthews!!!
    não sabia sobre blowin’ in the wind e pior, não tinha noção do vertigo!
    agora bismillah! vou ter que ouvir a música pois nunca tinha ouvido essa palavra…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: