Quem é você mesmo?

Eu sempre tive uma péssima memória para nomes. Péssima mesmo. Reconhecimento visual não é tão ruim assim, pelo menos quando estou de óculos (e quando eles estão no grau certo, o que não é caso no momento…). Isso me leva frequentemente àquela incômoda situação de saber que se conhece a pessoa mas não se lembra do nome / local / amigos em comuns.

Durante muito tempo, a estratégia sempre foi na linha: “E aí? Como estão as coisas? Continua lá?”, “E a galera, tem visto?”, “Pô, perdi todos os meus contatos no computador quando passei por um campo magnético de alta potência lá perto de casa. Tem o seu cartão de visita aí?”.

Com o avanço da idade, isso mudou. Não que eu tenha passado a fazer exercícios de memorização: eu simplesmente deixo os cabelos brancos falarem mais alto e (seguindo a dica de um primo) mando na lata: “Desculpa, quem é você mesmo?”.

No meu mundo ideal, todas as pessoas usariam crachá, 100% do tempo. Pense bem: um dos maiores problemas de se usar crachá na rua, além de parecer ridículo (é claro), é que você está dando mais informação sobre si do que está obtendo dos outros, correto? Legal. Agora, imagine que TODOS estão de crachá. Voltamos a ficar nivelados; não há mais desigualdade de informação.

Levando a ideia um passo adiante, o interessante seria que o dito crachá tivesse mais informações sobre as pessoas, e não só nome-e-sobrenome, que muitas vezes não bastam. Deveria ter empresa onde trabalha, onde já trabalhou, clientes, lugares onde estudou, cursos realizados, viagens que fez, top 20 amigos, irmãos / primos / parentes mais próximos (árvore até o terceiro grau de separação indicando se está vivo, doente ou morto), hobbies, associações a que pertence ou pertenceu, últimos eventos que participou, bandas favoridas, cor preferida, nome do cônjuge/parceiro, filhos (sim/não/quantos/nomes), ex-conjuges/ficantes, datas de aniversário da família, blocos em que desfilou ou acompanhou em todos os carnavais, signo com ascendente, se já teve cabelo diferente/barba/bigode, fotos em diferentes idades, animais de estimação, endereço atual e passados, bares e restaurantes que costuma frequentar, lista com fotos de tatuagens não expostas, time para que torce, esportes praticados, academia em que malha (ou malhou), apelido e experiência mais traumática por que passou.

Antes de descartar essa solução, imagine o quanto isso não iria poupar de constrangimento. Pense nisso na próxima vez que você encontrar alguém que te chama pelo nome, pergunta sobre seus filhos, lembra do seu aniversário e você continua sem saber de onde o conhece. Obviamente, o dito crachá deveria ser iluminado para que possamos nos reconhecer mesmo de noite. Informações erradas (de propósito) devem ser tratadas como estelionato, estando o indivíduo sujeito a penas severíssimas.

Sim, pode ser muita informação para se carregar. Mas e a quantidade de assuntos novos e interessantes que você vai ter com os seus amigos sobre os quais que você achava já saber tudo? Azaração, como um todo, seria enormemente facilitada: “Libriana, heh?”,  “Nossa, você também estudou no pré-primário do Educandário Sta. Genoveva?”, “Uau! Nunca imaginei que encontraria alguém que curtisse como eu montar miniaturas de monumentos históricos com palitos de dente!”. Humm. Pensando bem, melhor não apostar o futuro da humanidade nessa idéia.

 

Há cerca de um ou dois meses, um camarada meu me apresentou o site com todos os videos do TED. Eu já tinha visto aquele clássico, das superfícies sensíveis ao toque (pense iPhone), mas não tinha procurado saber mais. Altamente recomendado: Várias palestras interessantes, tecnologia novas, “Remarkable people, unmissable talks…”, tudo de bom. Até que eu vi o vídeo abaixo e, a partir dos 6m45s, meu cerebro explodiu. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: