Configurando o D-Link DNS-323 – instalação e hack funplug

Como mencionei aqui, uma das peças-chaves para o funcionamento da sala de estar como centro de entretenimento foi a aquisição de um NAS. Na verdade, na época que eu comprei, nem fiz muita pesquisa – vi que o DNS-323 tinha boas referências, uma comunidade ativa, com programas desenvolvidos / compilados para ele, um bom preço e me decidi. Tudo considerado, até que eu demorei para hack’eá-lo mas não consigo imaginar mais como seria sem minhas “customizações”…

Instalação

Resumo

    • Complexidade: 1 / 5  (até minha avó faria!)

Com ela (a instalção, não a avó) você vai poder quase tudo – streaming de audio/video, compartilhamento de pastas e da sua biblioteca do iTunes para todos os computadores da casa, backup automático, RAID, utilização como um servidor de impressão [EDITADO: como o Duda mencionou nos comentários, nem todas as impressoras são suportadas – é fundamental verificar se a sua é atendida. E também não espere algo mega-robusto: essa é uma solução doméstica!] , client Torrent, etc., tudo configurado através de uma interface web simples.

Links úteis

A caixa do DNS-323 já vem com tudo que você vai precisar para instalá-lo:

DNS-323 - Conteúdo

Conteúdo da caixa (foto do site http://www.shadowandy.net)

DNS-323 - Tamanho comparativo

Tamanho comparado (foto do site http://www.shadowandy.net)

DNS-323 - Traseira

Conectores na traseira do DNS-323 (foto do site http://www.shadowandy.net)

Passo 1 – Conectar dispositivo

Plugar na tomada, conectar cabo de rede e ligar (é, sem HD mesmo). Acesse via browser a interface de administração (o endereço default é 192.168.0.32 mas, dependendo da sua rede, pode ser outro IP). A conta padrão é “admin”, sem senha.

Passo 2 – Upgrade de firmware

Ok, ok, vovó não sabe o que é isso, mas se você está por aqui, já deve ter ouvido falar pelo menos… A versão mais atual, no momento que escrevo, é a 1.09. Verifique a sua: se for menor que 1.08, atualize!

Opcional: Defina um IP fixo, ao seu gosto, se for o caso.

Passo 3 – Conectar HD

Em dia com o firmware? Desligue após o reboot e acrescente o(s) seu(s) HD(s). A instalação é ridícula: tire a tampa da frente (onde tem o botão de power), puxando para cima e insira o disco. Não requer chave de fenda, cabos, prática ou habilidade. Importante: Se você estiver adicionando só um HD e tem a intenção de customizar o seu dispositivo, utilize a baia da direita (de quem vê o aparelho de frente).

[EDITADO: Um ponto importante é que alguns drives, mais recentes, da Western Digital não funcionam nativamente sem um hack. Se você não se sente confortável com isso, utilize algum dessa lista]

Passo 4 – Configurar o HD

Acesse novamente a interface de administração – o DNS vai te perguntar como formatar. Nesse ponto você pode escolher Standard, Raid 0, Raid 1 ou JBOD. Como eu não tenho motivos para escolher qualquer coisa diferente de Standard, foi fácil.

Passo 5 – Conecte via seu computador

Após a formatação – que pode demorar muuuuito, dependendo do tamanho do seu disco – o share Volume_1 deve estar disponível no IP do DNS-323. Mapeie o drive e copie para lá o que quiser. Moleza, não?

Customização

Resumo

    • Complexidade de customização: 2 / 5  (nível: não me assusto em ter que digitar na linha de comando)

Ué, mas se você já tem tudo isso na instalação padrão, porque se dar o trabalho… Por quê? Oras, porque sim! Dá para trocar o client de torrent por algo mais incrementado, fazer downloads automáticos, configurar um servidor http, implementar playlists para suas músicas, etc. Requer um mínimo de disposição, mas vale a pena.

Links úteis

Passo 1 – Mapear o drive de rede

No Windows Explorer, mapeie o drive de rede – o caminho é \\<IP do seu DNS-323>\Volume_1 (ou, no default: \\192.168.0.32\Volume_1).

Passo 2 – Baixar o funplug

Baixe o arquivo com o script e o pacote .tar do site oficial e coloque-os na raiz do share, reiniciando o dispositivo na sequência. Ao boot’ar, o script irá executar todos os passos necessários: descompactar o .tar, colocar os arquivos necessários para inicialização nos seus lugares corretos e, por fim, apagar o .tar.

Passo 3 – Conectar via telnet

Para realizar a configuração inicial, tem que se conectar diretamente lá. Pronto? Supondo que o IP seja o default,

telnet 192.168.0.32

A tela deverá mostrar o prompt padrão:

# /

Como assim? É, sem senha mesmo. Vamos mudar isso, começando pelo comando:

pwconv

seguido da troca de senha com:

passwd

O sistema irá pedir a senha nova duas vezes (ou três, se a senha escolhida for fraca). Em seguida, garanta que o usuário root está ativo:

usermod -s /ffp/bin/sh root

Depois, teste o resultado com o comando:

login

Será necessário dar a conta (root) e a senha escolhida para prosseguir. Se tudo estiver 100%, grave o resultado na memória não volátil do DNS-323 (caso contrário, você perderá ela a cada reboot). É simples:

store-passwd.sh

Passo 4 – Habilitar o SSH

Tudo certo até aqui? Próximo passo: ativar o sshd e fechar o telnet (que tem sérias questões de segurança):

chmod a+x /ffp/start/sshd.sh sh /ffp/start/sshd.sh start

O DNS-323 vai criar as chaves pública e privada – demora um pouco mesmo. Agora, sem fechar a janela do seu telnet, conecte via ssh (acho que quase todo mundo usa o PuTTY para isso).

[EDITADO: acrescentado o link para o download do PuTTY. Ao se conectar via ssh, a primeira coisa que o programa vai te informar é que a assinatura do servidor não está cadastrada – pode seguir adiante, sem susto. Em seguida, entre com o login (root) e senha.]

Se você conseguir, é só desativar o telnetd com:

chmod -x /ffp/start/telnetd.sh

(Ok, ok, isso só vai desativá-lo no próximo reboot, mas você entendeu).

Passo 5 – Divirta-se!

Pronto – já está tudo preparado. Agora é baixar / instalar novos pacotes e aproveitar. Eu recomendo a utilização do transmission como client de torrent, assunto de um próximo post.

Anúncios

2 Respostas to “Configurando o D-Link DNS-323 – instalação e hack funplug”

  1. Duda Says:

    Pedrinho,

    Muito bom seu post. Se me permite, por uma questão de uniformidade, detalhe mais o passo 4 do final do post, particularmente o acesso ssh. Assim dá pra fazer tudo sem sair do seu post.

    Outra sugestão: Não foste muito leniente na abertura do post? A funcionalidade de servidor de impressão para a porta USB é sofrível, e a lista de impressoras compatíveis é bem pequena (da última vez que vi e tentei usar me decepcionei). Talvez valha uma ressalva ali. O incauto que achar que tá comprando um printer server vai ficar triste! 🙂

    Abs
    Duda

  2. Thomaz Says:

    Muito bom!!!
    Os últimos posts então….
    Aguardo um tutorial de Prowl!

    bj
    T.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: