Post do arrependimento

Pois é, esse é o primeiro post e, para facilitar as coisas, já vou me arrependendo dele.

É que, de todos os blogs que eu leio com regularidade – cujo número pode-se contar em uma mão – os primeiros posts sempre são os mais fracos. Não por falta de vontade do autor ou por falta de assunto e sim porque o blog ainda não “é”, ainda não tem ainda uma personalidade definida. Invariavelmente, com o correr do tempo, fica claro como os primeiros post são distoantes, com idéias de como será o dia-a-dia incrivelmente ultrapassadas, quase surreais. Aí, quem escreveu fica sem graça, quer reeditar o passado ou pelo menos direcionar o incauto visitante a algum post mais brilhante, se arrependendo do que um dia utilizou para inaugurar o seu blog.

Assim sendo, pode pular esse primeiro post porque ele não vai servir mesmo como referência para todo o material regular, altamente inteligente e engraçado que vem por aí (ha! várias coisa para se arrepender em uma só frase!). 

Anúncios